Arquivo de janeiro, 2015

28.01.2015

Do blog TIJOLAÇO, 26.01.15

Por Fernando Brito

sauditaRecebo, do meu velho professor Nílson Lage, um interessante resumo das práticas do governo da Arábia Saudita, maior aliado (militar, inclusive) dos EUA no Oriente Médio.

Apenas sete pontos, que não causam escândalo na mídia mundial.

Todos práticas oficiais do Rei Abdullah, pranteado pelo Ocidente como grande governante.

1. Nada de eleições, nada de partidos, nada de oposição.

2. Decapitação, amputação de membros ou chicoteamento público de acusados de crimes, “infiéis” ou opositores políticos e religiosos.

3. Nepotismo oficial, com bons empregos e renda  garantidos para os 7.000 parentes da dinastia Saud.

4.O poder passa de pai para filho ou de irmão para irmão e as brigas de família levaram até a uma revolta de sobrinho e um assassinato real “familiar”.

5. A tortura é legal, na polícia e na Justiça. Tanto que, em 2013, um homem foi condenado a ficar paraplégico como punição.

6. 5. As mulheres não têm direitos, até pouco tempo eram “legalmente” espancadas e até dirigir um automóvel lhes é proibido.

7. Financia, nas palavras de ninguém menos que Hillary Clinton, o terrorismo internacional: “Al Qaeda,  Taleban,  LeT [o grupo Lashkar-e-Taiba, sediado no Paquistão] e outros grupos terroristas”, disse ela.

Alguma diferença com o “Estado Islâmico” que os EUA e a Europa bombardeiam, literalmente, nas areias da Síria?

Só o fato de serem os melhores amigos dos EUA.

*****

Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=24405

28.01.2015
Do portal GNOTÍCIAS, 27.01.15
Por Tiago Chagas

Organização de congresso pentecostal usa imagem do ex-presidente Lula para divulgar evento; AssistaA divulgação do 7º Congresso Fogo de Avivamento para o Brasil vem espalhando um vídeo nas redes sociais que traz a imagem do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. O pastor Marco Feliciano (PSC-SP), um dos palestrantes, compartilhou o vídeo em sua página no Facebook e em seu grupo no WhatsApp.

O texto narrativo do evento associa o avivamento à prosperidade financeira, e mostra a imagem do ex-presidente quando o locutor diz que “Deus pega o mais simples dos homens e o faz assentar entre os príncipes e os poderosos”, fazendo referência ao capítulo 2 de I Samuel.

O jornalista Lauro Jardim destaca o fato de que, mesmo sendo um “antipetista ferrenho”, o pastor Marco Feliciano compartilhou o vídeo. O trecho inserido é o de uma entrevista de Lula à TV Record, ainda durante seu primeiro mandato.

“Nós só queremos dizer o seguinte: a maior conquista nossa é o fato da gente estar dentro do palácio, coisa que eles jamais pensava (sic) entrar”, diz o ex-presidente Lula, às lágrimas.

O 7º Congresso Fogo de Avivamento para o Brasil contará com figuras polêmicas do meio evangélico: os televangelistas norte-americanos Mike Murdock e Benny Hinn, conhecidos pela ênfase que dão à teologia da prosperidade; o apóstolo Agenor Duque e sua esposa, bispa Ingrid Duque; além dos cantores pentecostais Damares, Anderson Freire e Fernandinho.

O evento, que é promovido pela Igreja Plenitude do Trono de Deus, será realizado no Estádio do Canindé, em São Paulo, entre os dias 17 e 18 de fevereiro. A entrada será 1 Kg de alimento não perecível. No entanto, os organizadores criaram camarotes e áreas VIP para os fiéis que estiverem interessados em desembolsar um pouco mais para participar do Congresso.

****
Fonte:http://noticias.gospelmais.com.br/congresso-pentecostal-usa-imagem-ex-presidente-lula-74072.html

27.01.2015
Do portal OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA
Por Paulo Pimenta*

Toda a vez que o debate sobre os limites do humor emerge, a mídia – especialmente a brasileira – diz que é preciso “ir até o fim” para se garantir a liberdade de expressão. “Não podemos recuar”, afirmam uns. “Não vamos deixar nos intimidar”, dizem outros. Mas dentro desses “limites do humor” é comum vermos por parte da mídia uma naturalização da violência, da cultura do machismo, da homofobia, do preconceito às minorias e intolerância às diferenças. Será mesmo que essas “gracinhas” fazem parte de um script tão inofensivo assim? Sabemos que não. O humor “apenas” por ser humor não está desprovido de um caráter ideológico em seu conteúdo.

O deboche e menosprezo ao negro só foi coibido a partir da lei que criminalizou o racismo no país. O que hoje se repudia com veemência, as piadas contra negros, antes era aceito como algo natural, que “fazia parte”. Nesse mesmo contexto, está o PLC 122/2006 que criminaliza a homofobia. Enquanto o Congresso se omite, parte da mídia reforça em seus humorísticos uma cultura de que os gays são passíveis de serem ofendidos e humilhados, quando deveria promover uma cultura que negasse a discriminação e valorizasse o reconhecimento ao direito de sermos diferentes uns dos outros.

Daí, alguns questionamentos: qual o papel social da mídia com relação a esses temas? Não deve haver mesmo limites para o humor?

É claro perceber que os humorísticos da mídia brasileira em grande parte não buscam produzir uma consciência crítica da nossa população em relação às minorias. Pelo contrário, na medida em que reafirmam o preconceito, produzem um retrocesso no pensamento coletivo, contribuindo para um sistema de diferenciação, segregação e exclusão.

A seção de cartas do leitor

Mas, e quando a mídia passa a ser o alvo das críticas ou piadas, ela mantém o mesmo argumento de que o humor deve prevalecer a todo custo?

Claro que não. Ela reage de forma autoritária quando é zombada ou satirizada em razão de seus erros e, especialmente, suas grandes fantasias jornalísticas. Rapidamente, ela age, seja dentro do seu próprio campo ou indo até ao Poder Judiciário, para impedir qualquer prejuízo à sua, já abalada, credibilidade.

A mídia é inteligente o suficiente para saber que a quebra do monopólio da informação e uma opinião naturalizada na sociedade de que ela combate a pluralidade de opiniões e engendra todos os esforços na direção de um pensamento único, atendendo a seus próprios interesses, ameaçaria também a hegemonia daqueles que a financiam.

Assim, a liberdade de expressão da mídia brasileira é seletiva e covarde. É uma concessão para poucos. A liberdade de expressão – não a que ela diz defender de maneira hipócrita, mas a que põe em prática – gira para impedir que haja qualquer retrocesso em um sistema arcaico de privilégios. Por isso, ela própria conhece, mais do que ninguém, os limites dessa liberdade de expressão, até onde pode ir e sobre o quê e quem falar.

A mídia brasileira sempre esteve preparada, aparelhada e unida para manter o status quo e abafar as vozes daqueles que discordam do projeto político e da agenda que ela própria tem para o Brasil. Entretanto, ao que parece, a mídia brasileira demonstra dificuldades para lidar com as críticas para além da sua seção de cartas do leitor, em que ela exerce o filtro, tampouco como protagonismo possível que as novas tecnologias têm permitido aos cidadãos e à sociedade civil de romper com lógica vertical da comunicação.

MTV Brasil utilizou logotipo idêntico ao da Falha

Um episódio que ocorreu em 2010 nos dá a clareza de quão longe a mídia brasileira está disposta a ir para calar os que fazem piadas com ela ou questionam sua hegemonia. Naquele ano, os irmãos Lino e Mário Bocchini criaram o blog Falha de S.Paulo, de análises e críticas satíricas a matérias e conteúdos veiculados no tradicional diário paulista. Imediatamente, 17 dias depois, o jornal Folha de S.Paulo obteve liminar e censurou o blog, que saiu do ar. Além disso, os autores estão sendo processados pela Folha de S.Paulo.

Segundo os irmãos e jornalistas Bocchini, o blog Falha de S.Paulo está há mais de quatro anos censurado por uma decisão judicial movida justamente por um dos veículos que se diz defensor da liberdade de expressão e que, ao lado de mais meia dúzia, forma o oligopólio da comunicação no país.

Pois bem, estranho é o fato desse oligopólio, que se autoproclama “guardião” e “defensor intransigente” da liberdade de expressão, e está sempre tão disposto a levar os limites do humor “às últimas consequências”, não enxergar o caso Folha versus Falha como censura, já que cada vez que um veículo jornalístico tem sua atuação limitada pela ação do Poder Judiciário fala-se em censura e a grande mídia e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) bradam em favor da liberdade de expressão no país.

É curioso também observar que na época em que o caso Falha versus Folha ganhou repercussão, a MTV Brasil em um de seus programas utilizou logotipo idêntico ao usado pelo Falha que satirizava a Folha. Entretanto, nenhuma ação foi movida contra o Grupo Abril, antiga proprietária da MTV Brasil. “Lobo não como lobo”, já diz um velho ditado popular.

As regras são diferentes

Recentemente, o recurso dos criadores do blog Falha de S.Paulo chegou ao STJ. A pergunta é: a Folha vai manter sua posição de censura contra os irmãos Bocchini, admitindo, então, que há limites para o humor; ou vai rever sua posição, mesmo que judicialmente desfavorável a si mesma? Talvez, para a Folha e para o oligopólio da mídia haja uma terceira via, algo como “não façam comigo o que faço com vocês”. É possível.

Está claro que a Folha de S.Paulo mira muito além dos irmãos Bocchini. Insatisfeitos com a crescente audiência de blogs noticiosos na internet – que impõem uma nova agenda à Secom da Presidência da República com relação a “tal” mídia técnica – e decadentes em sua credibilidade e alcance, a Folha é a porta-voz da hora do oligopólio da comunicação brasileira que busca intimidar e enfraquecer a blogosfera, jornalistas independentes, tuiteiros que ousam interpretar nas entrelinhas da imprensa e alertar, com posições críticas e contrárias, a insistente tentativa de imposição de uma agenda neoliberal que a mídia tem para o Brasil e a manutenção de um sistema de privilégios.

O recado está dado: “O monopólio da informação e da livre manifestação do pensamento é nosso, e qualquer tipo de crítica será censurado. E se possível, ainda queremos, buscar uma indenização daqueles que insistirem em nos desafiar.”

O jogo é o mesmo, mas as regras são diferentes. Nos editoriais impressos e eletrônicos continuaremos a assistir à mise-en-scène da defesa intransigente da liberdade de expressão, mesmo que por trás das câmeras a pluralidade de ideias, que hoje transita, especialmente, pela blogosfera, continue a ser combatida.
***
*Paulo Pimenta é jornalista e deputado federal pelo PT-RS        

Fonte:http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed835_liberdade_de_expressao_da_midia_e_seletiva_e_covarde

27.01.2015

Do BLOG DO EMIR, 24.01.15

Por Emir Sader

Cristina somos todos porque todos os nossos países são vítimas de manipulações torpes como essa de que hoje é alvo Cristina Kirchner e a democracia argentina.

Emir Sader

 “Excelentíssimos cadáveres”, o notável filme do recém falecido diretor italiano Francesco Rosi, passado na Sicília, já apontava para a manipulação de cadáveres em circunstâncias políticas. Se investigamos a história política da América Latina, nos deparamos muitas vezes com essa mistura macabra de mortos e política.

A própria vitória eleitoral de Salvador Allende, em 1970, no Chile, foi colocada em risco pela aparição, morto, do Comandante em Chefe das FFAA, numa tentativa desesperada dos golpistas de impedir a posse do presidente socialista. Mais recentemente, quando se encaminhava a vitória da Dilma no primeiro turno das eleições, um até hoje não esclarecido acidente de avião provocou a morte de um candidato e a colocação de outra na disputa, redistribuindo as cartas do baralho e quase levando à vitória da direita.

A Argentina é o novo cenário desses “excelentíssimos cadáveres”. Tudo muito suspeito, como convem à manipulação política de circunstâncias como essas. Se tudo fosse claro, não se prestaria às manipulações dos que querem pescar em águas turvas.

Todas as manipulações apontam para a Cristina, por tudo o que ela representa. Os que levaram a Argentina à pior crise da sua historia, não se resignam a que o país foi resgatado por governos populares, que não se contentaram em retomar o crescimento econômico, mas que o fizeram redistribuindo renda, retomando a trajetória dos governos populares argentinos.

Não perdoam a Cristina ter protagonizado esse resgate, ter sobrevivido às mobilizações golpistas dos produtores de soja de 2007, à própria morte do seu companheiro, Nestor Kirchner, à ofensiva covarde dos fundos abutre. Não se perdoa que uma mulher tenha enfrentado, com altivez, as agressões torpes da mídia, machistas, grosseiras, como corresponde a uma direita complacente com os crimes do terrorismo de Estado. Não perdoam a Cristina e a Nestor ter reaberto os processos contra os responsáveis pelos crimes de Estado. Não lhes perdoam o reencontro de mais de 100 netos, filhos de militantes opositores à ditadura, que além de assassinados, tiveram seus filhos sequestrados, no pior crime humanitário que conhecemos.

Cristina somos todos, porque resistimos juntos às ditaduras militares, solidários na luta, nos sofrimentos, nas perdas, na sobrevivência e na recuperação da democracia. Cristina somos todos porque todos os nossos países são vítimas de manipulações torpes como essa, que hoje são contra a Cristina, contra a democracia argentina, contra as conquistas sociais do seu povo, da sua soberania internacional.

A uma direita que nem sequer consegue ter lideres que os una contra o governo popular de Cristina, lhe doi a liderença da Presidenta da Argentina, sua dignidade, seu vinculo direto com o povo e com a historia de lutas dos argentinos.

Cristina somos todos, porque todos os que lutamos por países justos, solidários, soberanos, dignos, estamos com Cristina e com os argentinos, também nesta hora. Somos todos.

*****

Fonte:http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed835_liberdade_de_expressao_da_midia_e_seletiva_e_covarde

27.01.2015

Do portal BRASIL247

*****

Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/economia/167971/Argentina-importa-energia-do-Brasil-Imprensa-ignora.htm

26.01.2015

Do portal OPERA MUNDI

Por Redação | São Paulo

Após acordo com Gregos Independentes, Alexis Tsipras deverá jurar o cargo de primeiro-ministro ainda nesta segunda-feira (26/01)

Após vencer as eleições gregas e ficar a apenas duas cadeiras da maioria absoluta no Parlamento (149 dos 300 assentos), o partido da esquerda radcial Syriza recebeu nesta segunda-feira (26/01) o apoio dos Gregos Independentes, legenda da direita nacionalista, para conseguir formar uma coalizão antiausteridade que governe o país. Com o acordo, Alexis Tsipras, líder do Syriza, irá jurar ainda hoje o cargo de primeiro-ministro.

“Gostaria de dizer, simplesmente, que, a partir deste momento, há governo na Grécia”, disse Panos Kammenos, líder dos Gregos Independentes, após sair de uma reunião com a cúpula do Syriza. O partido nacionalista despontou como a sexta força nas eleições gregas deste domingo (25/01), com 4,75% dos votos (13 cadeiras).

Leia também:
Troika e austeridade viraram ‘coisas do passado’ na Grécia, diz líder do Syriza após vitória

Agência Efe
 
 Alexis Tsipras, líder do Syriza, se reúne com Panos Kammenos, 
do direitista Gregos Independentes, para formar governo de coalizão na Grécia

A legenda direitista dos Gregos Independentes é tida como pequena, populista e de pouca expressão. Embora concorde com o Syriza sobre a necessidade de rever as medidas de austeridade impostas como contrapartida ao “socorro” financeiro oferecido para lidar com a crise, os dois partidos, agora unidos, discordam em uma série de questões sociais, como imigração.

Além do acordo com a legenda da direita nacionalista, Alexis Tsipras deve buscar ainda o apoio de outros dois partidos: o centrista To Potami, liderado por Stavros Theodorakis, e o Partido Comunista KKE, de Dimitris Kutsumbas.

Boca de urna dá vitória ao Syriza nas eleições gregas; Nova Democracia vem em segundo

Syriza fala em ‘vitória histórica’ na Grécia e ‘esperança contra austeridade’

Troika e austeridade viraram ‘coisas do passado’ na Grécia, diz líder do Syriza após vitória

Ante os 149 assentos conquistas pelo Syriza, o segundo colocado no pleito legislativo de domingo foi o centro-direita Nova Democracia, do atual premiê, Antonis Samaras, com 76 cadeiras.

Em terceiro, ficou o partido neo-nazista de extrema-direita Aurora Dourada, com 18 representantes no Parlamento. O líder da legenda, Nikolaos Mihaloliakos, e diversas outras figuras do partido, estão ou presos ou sob custódia domicialiar.

Economia

Provável novo ministro das Finanças da Grécia, o deputado do Syriza Yanis Varufakis descartou hoje que a Grécia vá sair da zona do euro após a vitória nas eleições. Em vez de buscar “o confronto”, o novo governo grego negociará construtivamente a reestruturação da dívida do país com Bruxelas e os demais representantes da chamada “troika” — formada por Comissão Europeia, BCE (Banco Central Europeu) e FMI (Fundo Monetário Internacional).

“Houve um pouco de pose de nossa parte”, declarou o parlamentar de nacionalidade grega e australiana. O deputado explicou que o “importante agora é se sentar e conversar” sobre a melhor maneira de reorganizar o pagamento da dívida grega.

Após a vitória da esquerda radical, a Bolsa de Atenas amanheceu hoje com uma queda de mais de 5% na primeira sessão do dia.

A diretoria do BCE também veio a público hoje para acalmar os ânimos do mercado ao dizer não acreditar que haja risco de contágio a outros países do bloco. O francês Bruno Coeuré, membro do diretório do banco, afirmou que as medidas adotadas pela troika “permitem condições financeiras muito protetoras para o resto da zona do euro”.

Movimentações

As reuniões para formar um novo Executivo na Grécia começaram hoje. O primeiro compromisso de Tsipras foi realizado com Kammenos.

Segundo uma fonte da Syriza, a intenção é que Tsipras jure hoje mesmo o cargo e o novo governo esteja definido amanhã à tarde ou no máximo até quarta-feira pela manhã.

* Com informações da Agência Efe

*****

Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/39283/vencedor+de+eleicao+na+grecia+esquerdista+syriza+formara+coalizao+com+direita+nacionalista.shtml

23.01.2015

Do blog TIJOLAÇO,22.01.15

Por Fernando Brito

energia

A imprensa, com estardalhaço, anuncia que o Brasil está importando energia da Argentina e Paraguai.

Está.

Exatos 90 megawatt, ontem.

O equivalente a estrondosos 0,12% dos 73.780 MW consumidos ontem no país.

Uma quantidade, como se vê, ridícula, embora, nesta seca, qualquer 10 mil réis sejam úteis.

Irrelevante, sob qualquer aspecto.

Mas o Brasil importava energia antes?

Sim, e muito mais.

Peguei, ao acaso, um dia de 2002, na crise energética tucana.

Importamos 673 MW da Argentina e do Paraguai no mesmo dia 21 de janeiro de 2002.

Ou 1,89% da carga de 35.647 MW consumida pelo país, proporcionalmente 15 vezes mais.

(Sim, porque o consumo – e a produção – de energia mais que dobraram de Fernando Henrique para cá, embora a população tenha crescido pouco mais de 20%)

Não me recordo de qualquer escândalo por isso.

Até porque, de lá para cá, importamos ou exportamos energia ( e, aí, até 1.000 MW) conforme as disponibilidades  da região sul do Brasil e dos países vizinhos.

Mas, agora, qualquer defeito local, a maioria das distribuidoras de energia, vai virar “prova” de que estamos na iminência de um baita apagão.

O jornalismo, no Brasil, é a política.

*****

Fonte:http://tijolaco.com.br/blog/?p=24354

23.01.2015

Do portal BRASIL247

GABRIELA KOROSSY/Câmara:

Candidato do PMDB à presidência da Câmara “representa o que de mais atrasado se pode encontrar no Congresso”, opina Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília; jornalista diz que o “caráter extremista” do deputado “parecia ser o ingrediente ideal para uma Câmara a ser empossada num ambiente em ambiente de fim do mundo”, cenário observado ao final das eleições, quando se protestava por impeachment após uma vitória apertada da presidente Dilma Rousseff; hoje, porém, o ambiente é outro, avalia PML; “É difícil negar que a ideia de emparedar o governo Dilma para forçar um ambiente de crise permanente está murchando, e essa situação é que esvazia a candidatura de Eduardo Cunha”; leia a íntegra:

247 – A visão de que a disputa à presidência da Câmara dos Deputados, agendada para o dia 1º de fevereiro, “não passa de um confronto entre concorrentes iguais em seus defeitos e em sua falta de sintonia com as necessidades da maioria dos brasileiros” é usada por quem “deseja a crise a qualquer custo e aposta no quanto pior melhor”, avalia Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília.

Em seu blog, ele classifica a candidatura de Eduardo Cunha, do PMDB, como a dos “falsos moralistas e reacionários, como Marco Feliciano”, e a que “representa o que de mais atrasado se pode encontrar no Congresso”. Antes com uma vitória avaliada como “inevitável”, que chegou a fazer petistas pensarem se valeria mesmo a pena enfrentá-lo em vez de aderir à sua candidatura, Cunha deve registrar hoje empate técnico com Arlindo Chinaglia, do PT.

Na opinião do colunista, o “caráter extremista” do peemedebista “parecia ser o ingrediente ideal para uma Câmara a ser empossada num ambiente em ambiente de fim do mundo”, cenário observado após as eleições, quando se protestava por impeachment após uma vitória apertada da presidente Dilma Rousseff. Hoje, no entanto, o ambiente é outro, diz ele.

“Embora uma quantidade imensa de brasileiros ainda não tenha se acostumado com a desenvoltura de um Joaquim Levy num governo do PT — e é até possível que isso nunca venha a ocorrer – é difícil negar que a ideia de emparedar seu governo para forçar um ambiente de crise permanente está murchando, e essa situação que esvazia a candidatura de Eduardo Cunha”, analisa.

Leia aqui a íntegra do artigo.

*****

Fonte:http://www.brasil247.com/pt/247/poder/167597/PML-Cunha-%C3%A9-o-candidato-dos-%E2%80%9Cfalsos-moralistas%E2%80%9D.htm

22.01.2015

Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 21.01.15

DIÁRIO URBANO

Por Tânia Passos

Um barril de pólvora prestes a explodir. A frase virou jargão jornalístico para traduzir a superlotação nos presídios. E não é diferente no Complexo Prisional do Curado, no Recife. Com capacidade para pouco mais de 1,6 mil detentos, a unidade já ultrapassou a marca dos 6 mil. Não é de se estranhar que a rebelião que resultou, ontem, em duas mortes e mais de 20 pessoas feridas, tenha como motivação o atraso nos alvarás de soltura e a superlotação.

O sistema está falido há muito tempo. O modelo que coloca lado a lado, presos de menor e maior potencial ofensivo, e até os que ainda não foram julgados, não oferece nenhuma chance de recuperação. Numa situação, onde até um espaço para dormir é luxo, ser reintegrado à sociedade deve ser o último dos pensamentos. A sobrevivência, um dia por vez, move a rotina desses homens.

Mas há um dia em que as coisas ruins parecem ficar pior e o grito de morte por melhoria parece, para eles, a única coisa a fazer sentido. Qualquer rebelião deixa de cabelo em pé as autoridades, mas também familiares dos presos. O sistema que não recupera, também não garante a vida dos que lá estão.

Dessa vez foram dois mortos e se espera que não tenham morrido em vão. Independentemente da violência usada pelos detentos, que ao que tudo indica desconhecem outra linguagem, o descaso com a situação jurídica acaba deixando atrás das grades pessoas que não deveriam estar mais ali.

O mutirão realizado no ano passado pelo Conselho Nacional de Justiça identificou que mais de 60% dos presos não haviam sido julgados e mesmo assim estavam convivendo com os condenados sem qualquer tipo de separação. O mutirão também mostrou que contingente de presos aumentou cerca de 40% entre 2011 e 2014.

Até quando essa situação irá continuar? Está mais do que claro, que além de um tratamento digno, o acompanhamento jurídico é de fundamental importância para reduzir a injustiça de deixar na prisão pessoas inocentes, pois não há como saber se são ou não culpados se não foram julgados. Ou aqui a máxima jurídica funciona pelo avesso onde se é culpado até que se prove o contrário?

////////////////////////////////////////////////////////////

Diario urbano

tania passos
taniapassos.pe@
dabr.com.br

Publicação:21/01/2015 03:00

Morte via whatsApp

Uma rebelião que tem como troféu a imagem da barbárie. No segundo dia do motim no Complexo Prisional do Curado, no Recife, a morte de um preso, decapitado, esfaqueado e picotado, sistematicamente, por um grupo, enquanto outros registravam a cena para ser divulgada nas redes sociais, é absolutamente estarrecedora. Não apenas pela violência em si, que é inimaginável para quem não viu, mas também pela facilidade com que os presos têm acesso a celulares, internet e armas.

Que tipo de justificativa pode haver para tamanha violência? E qual o papel do poder público nesse cenário? Trancafiados numa unidade que tem quase 400% a mais de sua capacidade e com 35% dos detentos condenados, o que se pode esperar dos outros 65% não julgados, depois de um estágio sem volta de como se tornar o mais frio dos assassinos.

Talvez a polícia já tenha identificado pelo vídeo, os responsáveis pelo massacre de um só, ontem, mas não necessariamente quem está por trás. Ainda não se sabe se os que esfaquearam já eram condenados ou aguardavam julgamento. O certo é que nenhum deles sairá de lá como entrou.
Não se pode mais fechar os olhos para a situação dos presídios, que se transformaram em depósitos de pessoas, que se barbarizam até para não serem mortas. O motivo apontado da rebelião para pedir mais agilidade nos processos se perde à medida que mais crimes estão sendo cometidos. E são transmitidos pela internet, por eles mesmos.

Por mais bizarro que pareça, ter presos usando whatsApp dentro de um presídio, isto está acontecendo em Pernambuco e pelo visto a restrição de antenas para bloquear sinal da internet não está funcionando. O whatsApp, que se tornou a ferramenta mais prática na divulgação de mensagens, imagens e vídeos, também foi descoberta pelos detentos. O pior é que a internet, nesse caso, pode ser uma arma para a perpetuação do crime também do lado de fora.

O governo tomou algumas medidas, inclusive a de contratação de mais advogados. Pode ser só uma gotinha em um oceano de mais de seis mil detentos, mas é um começo. E como desgraça pouca é bobagem, a polícia ao invés de ajudar pode se transformar em outro problema. Seja cruzando os braços, ou atirando para valer. E fica uma pergunta: Dos 29 feridos, no primeiro dia, quantos foram atingidos por bala? Uma vez que nenhuma arma de fogo foi encontrada com os detentos.

******

Fonte:www.diariodepernambuco.com.br